Neste ano até o momento foram defendidas 10 dissertações.

Útlima atualização 07/04/2020

 

Alan de Sousa Motta

Título: A individualização de nomes abstratos no português brasileiro

Orientador: Prof. Dr. Alessandro Boechat de Medeiros

Páginas: 184


Resumo

Este trabalho é sobre nomes abstratos do tipo eventos e estados no português brasileiro. É sobre sua contabilidade, o modo como se dá sua individualização. Para chegar ao comportamento de contabilidade destes nomes, vamos investigar quais são os fatores que determinam sua individualização. Nosso objetivo é sistematizar como artigos, quantificadores, numerais, classificadores, nomes nus, morfologia, aspectos semânticos e derivacionais do nome, contexto pragmático e propriedades ontológicas influenciam na individualização dos nomes abstratos.

Visitaremos a literatura massivo-contável e suas principais abordagens e tentaremos traçar um diálogo das propriedades destas abordagens com a ontologia única dos nomes abstratos.

Por meio da intuição e de dados da internet, percebemos que há uma correlação entre nomes de evento e contabilidade e nomes de estado e não-contabilidade, como já previsto por autores que já estudaram tal correlação antes (BRINTON, 1998). Entretanto, assim como para os nomes concretos, estão disponíveis para os nomes abstratos alguns mecanismos que realizam a coerção destes, especialmente a passagem de nomes de estado para nomes de evento (GRIMM, 2014).

Também investigamos como o plural não-individualizante (CORBETT, 2000) ocorre no português brasileiro e em outras línguas. Este plural, cuja literatura não é abundante, desafia a literatura sobre a relação entre o morfema plural -s e a leitura de indivíduos (MÜLLER, 2002; PIRES DE OLIVEIRA; ROTHSTEIN, 2011), já que certos nomes não desencadeiam uma leitura de indivíduos.

Palavras-chave: nomes abstratos, individualização, plural não-individualizante.

 

Abstract

This work is about event and state abstract nouns in Brazilian Portuguese. It’s about their countability and how their individuation comes about. To understand the countability properties of these nouns, we will investigate which factors determine their individuation.

Our aim is to systematize how articles, quantifiers, numerals, classifiers, bare nouns, morphology, semantic and derivational aspects of the noun, pragmatic context and ontological properties affect the individuation of abstract nouns. Taking the mass-count literature and its main approaches into account, we will try to connect these main approaches and the unique properties of abstract nouns.

Based on our intuition and internet data, we have noticed that there is a correlation between event nouns and countability and state nouns and non-countability, as already predicted by authors who have previously studied this correlation (e. g., BRINTON, 1998). However, like concrete nouns, there are some mechanisms available for abstract nouns which coerce state abstract nouns into event nouns (GRIMM, 2014).

We will also investigate how the non-individuating plural (CORBETT, 2000) happens in Brazilian Portuguese and in other languages. This kind of plural, which is poorly studied yet, challenges the literature on the link between the plural morpheme -s and the plural reading (MÜLLER, 2002; PIRES DE OLIVEIRA; ROTHSTEIN, 2011), since certain plural abstract nouns do not trigger a reading of individuals.

Keywords: abstract nouns, individuation, non-individuating plural.

 

Dayanne de Oliveira Ximenes

Título: UMA PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O DESENVOLVIMENTO DE UMA REDE DE CONSTRUÇÕES: investigando a complementação sentencial do Português Brasileiro.

Orientador: Prof. Dr. Diogo Oliveira Ramires Pinheiro

Páginas: 150


Resumo

Em sua crítica à abordagem de Goldberg (1995), Croft (2012) sugere que a noção de polissemia construcional deve, ao menos em alguns casos, dar origem a uma abordagem baseada em uma rede hierárquica de construções, na qual os níveis intermediários são definidos a partir de classes semânticas e níveis mais abaixo apresentam preenchimento lexical. Apesar de teoricamente interessante, essa proposta produz uma dificuldade prática: como identificar as classes semânticas que se constituem como construções intermediárias de uma rede construcional? Este trabalho se configura como uma tentativa de responder a essa questão. Tomando como objeto a Construção de Complementação Sentencial do português brasileiro (PB), que se manifesta em instâncias como “Ele disse que a aula foi maravilhosa” e cuja forma abstrata pode ser capturada como SUJEITO + VERBO + ORAÇÃO INTRODUZIDA PELO COMPLEMENTIZADOR “QUE”, propomos – e aplicamos – um caminho metodológico para delimitar as classes semânticas que definem as construções intermediárias em uma rede taxonômica de construções gramaticais. O método se baseia, fundamentalmente, em um processo bottom-up, que parte de exemplares concretos para chegar, gradualmente, a categorias progressivamente mais abstratas. Assim, o passo a passo proposto prevê a busca, em corpus, por tokens da construção em estudo, o mapeamento de construções com verbo especificado à luz da Teoria dos Exemplares (Bybee 2006; 2010; 2013), a postulação de categorias semânticas abstratas por meio da observação dos atributos semânticos latentes em clusters de exemplares e a realização de dois experimentos linguísticos: o primeiro se presta a verificar a realidade psicológica dos clusters e categorias propostos, ao passo que o segundo busca identificar se as classes semânticas foram definidas em um nível apropriado de generalidade, a fim de evitar a supergeneralização. Neste trabalho, esse método foi aplicado, ainda que de forma parcial, a 107 types da CCS, permitindo a postulação tanto de um mapa de exemplares quanto de uma rede construção com diferentes níveis de esquematicidade.

Palavras-chave: Complementação sentencial. Construção gramatical. Supergeneralização. Exemplares. Construções intermediárias.

 

Abstract

In his critique of Goldberg's (1995) approach, Croft (2012) suggests that the notion of constructional polysemy should, at least in some instances, lead to an approach based on a hierarchical constructional network, in which the intermediate levels are defined from semantic classes and lower levels are lexically filled. Even though it is theoretically interesting, this proposal presents a practical obstacle: how to identify the semantic classes that constitute themselves as intermediate constructions of a constructional network? This work constitutes itself as an attempt of answering this question. Taking as our object the Sentential Complementation Construction (SSC) of Brazilian Portuguese (BP), which manifests itself in instances such as “Ele disse que a aula foi maravilhosa” (He said that the class was wonderful) and tales the abstract form SUBJECT + VERB + CLAUSE INTRODUCED BY COMPLEMENTIZER “QUE”, we propose – and implement – a methodological procedure in order to narrow down the semantic classes that define the intermediate constructions in a taxonomic constructional network. The method is fundamentally based on a bottom-up process, which stems from concrete exemplars to gradually reach categories that are progressively more abstract. Therefore, the step-by-step includes the corpus-based research for tokens of the construction assessed, the mapping of verb-specific constructions based on the Exemplar Theory (Bybee, 2006; 2010; 2013), the postulation of abstract semantic categories through the observation of the latent semantic attributes in clusters of exemplars, and the undertaking of two linguistic experiments: the first one intends to verify the psychological reality of the clusters and categories proposed, whilst the second one intends to identify whether the semantic classes were defined in an appropriate level of generality in order to avoid overgeneralization. In this work, this method was applied, though in a partial way, to 107 types of the SSC, enabling the postulation of a map of exemplars as well as of a constructional network with different levels of schematicity.

Keywords: Sentential Complementation. Grammatical construction. Overgeneralization. Exemplars. Verb-class specific construction.

 

Frederico Torres Ludugerio

Título: Aquisição de interrogativas indiretas do inglês por falantes nativos de PB aprendizes de inglês como l2

Orientador: Profa. Dra. Marcia Maria Damaso Vieira

Páginas: 121


Resumo

O objetivo deste trabalho é investigar a aquisição das interrogativas indiretas em inglês como L2, por falantes nativos de português brasileiro (PB). Para tanto, buscou-se investigar os papéis da língua materna (L1) e da Gramática Universal (GU) no processo. Adotamos como hipótese inicial Transferência Parcial e Acesso Total, sugerida por Sauter (2002) e aceita por White (2004), segundo a qual há transferência de algumas propriedades dos traços dos núcleos funcionais da L1 para a L2 e também há acesso à GU durante esse processo. O acesso à GU pode ser constatado não só pelo fato de que o aprendiz pode alcançar a gramática –alvo, mas também pelo fato de que aprendizes de inglês como L1 e L2 passam por estágios semelhantes, cometendo os mesmos tipos de desvios. Para a realização deste estudo, foram aplicados experimentos entre aprendizes de Inglês como L2 de diferentes instituições de ensino. Os sujeitos realizaram testes de produção e de julgamento de gramaticalidade de interrogativas.

Palavras-chave: Aquisição de L2; L1vs. L2; Interrogativas Indiretas; GU.

 

Abstract

The aim of this study is to investigate indirect question acquisition in L2 English, by native speakers of Brazilian Portuguese (BP). Therefore, we sought to investigate the roles of L1 and Universal Grammar (UG) in the process of acquisition. We have adopted as our initial hypothesis Partial Transfer and Full Access suggested by Sauter (2001) and defended by White (2004), according to which there is both transfer of some L1 functional properties and access to UG during this process. Access to UG can be observed not only by the fact that the learner can acquire L2 grammar but also by the fact that both L1 and L2 learners go through the same stages, making the same kinds of errors. In order to carry out this study, experiments were elaborated and applied among students from different educational institutions. The participants underwent production and grammaticality judgment tests.

Keywords: L2 Acquisition; L1 vs. L2; Indirect questions; UG.

 

Gabrielle de Figueira do Nascimento

Título: Construções binominais quantificadoras da língua russa: uma abordagem baseada no uso

Orientador: Profa. Dra. Karen Sampaio Braga Alongo

Coorientador: Prof. Dr. Diego Leite de Oliveira

Páginas: 108


Resumo

Esta dissertação apresenta um estudo de cunho cognitivo-funcional do fenômeno de quantificação em construções binomiais quantificadoras da língua russa, a saber, gora Ngen ‘uma montanha de Ngen’ (gora-NOM musora-GEN ‘uma montanha de lixo’) e morie Ngen ‘um mar de Ngen’ (morie-NOM liudiei-GEN ‘um mar de pessoas’). A hipótese geral da pesquisa parte da premissa de que as duas construções possuem preferências colocacionais diferentes, ou seja, elas permitem determinados itens na posição Ngen. Para identificar as diferenças, realizamos uma análise colostrucional, que calcula uma medida associativa entre as construções selecionadas para a pesquisa e os elementos que podem ocupar a posição Ngen. Além disso, consideramos traços semânticos mais gerais (+contável, +animado e +concreto) e mais específicos (+líquido e +empilhável) para comparar a expansão dos tipos de nomes que podem figurar em Ngen. Interessa a esse estudo também a descrição das construções binominais quantificadoras em termos de seu uso e também em termos de como cognitivamente o falante recruta nomes não quantificadores para expressar quantidade. A pesquisa é baseada na perspectiva teórica da Linguística Baseada no Uso (BARLOW E KEMMER, 2000; BYBEE, 2016). A premissa básica da Linguística Baseada no Uso é que a gramática é uma organização cognitiva que é constantemente impactada pelo uso, isto é, a experiência linguística do falante, e operada processos cognitivos de domínio geral.

Palavras-chave: Quantificação; Gramática de Construções; Linguística Baseada no Uso; Língua Russa.

 

Abstract

This dissertation presents a cognitive-functional study of the quantificacional phenomenon in Russian language by quantifying binomial constructions, namely, gora Ngen 'a mountain of Ngen' (gora-NOM musora-GEN 'a mountain of garbage') and morie Ngen 'a sea of Ngen' (morie-NOM liudiei-GEN 'a sea of people'). The general hypothesis of the research starts from the premise that the two constructions have different collocation preferences, that is, they allow certain items in the Ngen position. To identify the differences, we performed a collostrutional analysis, which calculates an associative measure between the constructions selected for the research and the elements that can occupy the Ngen position. In addition, we considered more general (+countable, +animated and +concrete) and more specific (+liquid and +stackable) semantic features to compare the expansion of the names’ types that can appear in Ngen. This study is also of interest in describing the quantifying constructs in terms of their use and also in terms of how the speaker cognitively recruits non- quantifying names to express quantity. The research is based on the theoretical perspective of Usage-Based Linguistics (BARLOW & KEMMER, 2000; BYBEE, 2016). The basic premise of Usage-Based Linguistics is that grammar is a cognitive organization that is constantly impacted by use, that is, the speaker's linguistic experience, and operated general domain cognitive processes.

Keywords: Quantification; Construction Grammar; Usage-Based Linguistics; Russian Language.

 

Isadora Rodrigues de Andrade

Título: Lendo faces e palavras: uma abordagem psicolinguística

Orientador: Profa. Dra. Aniela Improta França

Páginas: 138


Resumo

A hipótese clássica da Reciclagem Neuronal (COHEN et al. 2000) para a aquisição da leitura propõe que, por circunstância da alfabetização, parte dos neurônios responsáveis pelo processamento de faces e parte daqueles encarregados pelo reconhecimento de objetos é reciclada, isto é, é reajustada de modo a responder à execução de uma nova capacidade, fundamental à leitura: a identificação de grafemas. Consequência da reciclagem neuronal é a formação da chamada Área da Forma Visual da Palavra (Visual Word Form Area), uma área do cérebro acomodada dentro do giro fusiforme do hemisfério esquerdo, na região occipito-temporal ventral, entre as áreas de processamento de face e de objetos, que responde preferencialmente às letras e palavras escritas (DEHAENE, 2012). Argumenta-se que o desenvolvimento da VWFA, depois da alfabetização, provoca a lateralização hemisférica da região dedicada ao reconhecimento de face (DEHAENE, 2010), mas, por outro lado, aumenta sua conexão com as áreas envolvidas no processamento da linguagem (DEHAENE et al., 2010), provocando uma reorganização cortical. Os efeitos comportamentais dessa nova configuração estrutural foram avaliados experimentalmente. Nossos achados revelaram que alfabetizandos e recém alfabetizados foram consistentemente mais acurados do que crianças não alfabetizadas em uma tarefa auditiva de reconhecimento de sons silábicos, tendo, o 2o ano, mobilizado tempos de reação mais baixos. No que se refere à cognição de reconhecimento facial, nossas descobertas mostraram que alterações (thatcherização) na forma de elementos da face, como olhos, nariz e boca, são capazes de prejudicar substancialmente a precisão de crianças em processo de alfabetização no reconhecimento desses rostos e aumentar o tempo empregado no reconhecimento, em comparação com criança não alfabetizadas. Sugerimos que este comportamento esteja relacionado à forte dominância do hemisfério esquerdo para mecanismos holísticos e o direito para processos mais analíticos (VENTURA et al., 2013). Esses achados evidenciam efeitos comportamentais da reorganização cortical provocada pelo desenvolvimento da leitura.

Palavras-chave: Aquisição da leitura – Reciclagem Neuronal – Reconhecimento de face – Reconhecimento dos sons da fala – Psicolinguística

Abstract

 

The classic hypothesis of Neuronal Recycling (COHEN et al. 2000) for the acquisition reading proposes that, due to literacy circumstances, part of the neurons responsible for processing faces and part of those responsible for object recognition is recycled, that is, they are readjusted to respond to the implementation of a new cognitive capacity, fundamental to reading: the identification of graphemes. A consequence of the neuronal recycling is the formation of the so- called Visual Word Form Area, an area of the brain accommodated within the fusiform gyrus of the left hemisphere, in the ventral occipito-temporal region, between the areas of face processing and of object processing, responding preferentially to letters and written words (DEHAENE 2012). It is argued that the development of VWFA, after literacy, causes hemispheric lateralization of the region dedicated to face recognition (DEHAENE 2010), but, on the other hand, it increases its connection with the areas involved in language processing (DEHAENE et al 2010), causing a cortical reorganization. The behavioral effects of this new structural configuration were evaluated experimentally. Our findings revealed that participants who were learning how to read (1st and 2nd graders) were consistently more accurate than preschoolers in an auditory task of recognizing spoken syllables. Noticeably, 2 nd graders displayed the fastest RTs lower reaction times. With regard to facial recognition cognition, our findings showed that changes (thatcherization) in the form of elements of the face, such as eyes, nose and mouth, are capable of substantially impairing the accuracy of 1 st graders. There was also an increase in the time spent on recognition, compared to preschoolers. We suggest that this behavior is related to the strong dominance of the left hemisphere for holistic mechanisms and the right for more analytical processes (VENTURA et al., 2013). These findings evidence behavioral effects of the cortical reorganization brought about by the advent of reading.

Keywords: Reading acquisition - Neuronal recycling - Face recognition - Speech sounds recognition - Psycholinguistics

 

Jean Carlos da Silva Gomes

Título: O comprometimento do aspecto PERFECT na doença de Alzheimer

Orientador: Profa. Dra. Adriana Leitão Martins

Coorientador: Profa. Dra. Fernanda de Carvalho Rodrigues

Páginas: 202


Resumo

Esta pesquisa tem como objetivo investigar a representação sintática do aspecto perfect. Assumiu-se a existência de tipos distintos de perfect: perfect universal / situação persistente, perfect existencial / resultativo, perfect existencial / experiencial e perfect existencial / passado recente. Para tanto, foi investigada uma possível perda linguística desse aspecto associado ao tempo presente em sujeitos portadores da Doença de Alzheimer, tanto na variante clássica (DA), quanto na variante frontal, conhecida como Afasia Progressiva Primária Logopênica (APPL). A metodologia elaborada para este trabalho consistiu na realização de um estudo duplo de caso, tendo participado uma paciente portadora da DA e outra da APPL, ambas falantes nativas do português do Brasil. Foram aplicados dois testes de funcionalidade, dois testes neuropsicológicos e dois testes linguísticos e foi realizada também uma análise de fala espontânea. Os resultados indicaram que ambas as pacientes apresentaram declínio funcional e comprometimento cognitivo, ainda que o déficit na paciente com DA fosse maior do que o da paciente com APPL. A análise referente à expressão linguística, resultante da comparação dos resultados dos dois testes linguísticos e da análise de fala espontânea, revelou que a paciente com DA apresentava um déficit que incide sobre os quatro tipos de perfect, tempo presente e aspecto imperfectivo, enquanto que a paciente com APPL apresentava um déficit que incide sobre perfect existencial / passado recente e tempo presente. Observou-se, então, que o perfect existencial / passado recente está dissociado na gramática mental, havendo um sintagma referente a esse conhecimento na representação sintática, o RecPerfP, que domina os demais sintagmas de perfect. Além disso, discutiu-se que TP encontra-se acima dos sintagmas de perfect na hierarquia sintática, ao passo que AspP encontra-se abaixo. Foi proposto, dessa forma, que a hierarquia entre sintagmas de perfect, tempo e aspecto perfectivo/imperfectivo na representação sintática seja a seguinte: TP > RecPerf > ExPerfP > UPerfP > ResPerfP > AspP.

Palavras-chave: aspecto perfect; representação sintática; Doença de Alzheimer; Afasia Progressiva Primária Logopênica; tempo e aspecto.

 

Abstract

This research aims to investigate the syntactic representation of the perfect aspect. Different types of perfect were assumed to exist: universal perfect / persistent situation, existential perfect / resultative, existential perfect / experiential and existential perfect / recent past. Therefore, a possible linguistic impairment of this aspect associated with the present tense was investigated in subjects with Alzheimer's disease, both in the classic variant (AD) and in the frontal variant, known as Logopenic Primary Progressive Aphasia (LPPA). The methodology developed for this study consisted of a double case study, involving one patient with AD and one with LPPA, both Brazilian Portuguese native speakers. Two functionality tests, two neuropsychological tests and two language tests were applied and a spontaneous speech analysis was also performed. The results indicated that both patients presented functional decline and cognitive impairment, although the deficit in the AD patient was greater than that of the LPPA patient. The analysis of the linguistic expression, resulting from the comparison of the results of the two linguistic tests and the spontaneous speech analysis, revealed that the patient with AD presented a deficit that affects the four types of perfect, present tense and imperfective aspect, while the patient with LPPA had a deficit that affects existential perfect / recent past and present tense. It was observed, then, that the existential perfect / recent past is dissociated in mental grammar, and there is a phrase referring to this knowledge in syntactic representation, RecPerfP, which dominates the other perfect phrases. In addition, it has been argued that TP is above the perfect phrases in the syntactic hierarchy, whereas AspP is below. Thus, it was proposed that the hierarchy between perfect, tense and perfective / imperfective aspect phrases in syntactic representation is as follows: TP> RecPerf > ExPerfP > UPerfP > ResPerfP > AspP.

Keywords: perfect aspect; syntactic representation; Alzheimer’s Disease; Logopenic Primary Progressive Aphasia; tense and aspect.

Maria Margarida Simões

Título: Construções de foco [SER X QUE Y], [X SER QUE Y] e [X QUE Y] no português brasileiro escrito: uma análise baseada no uso

Orientador: Prof. Dr. Diego Leite de Oliveira

Coorientadora: Prof(a). Dr(a). Maria Luiza Braga

Páginas: 137


Resumo

Esta dissertação investiga construções de foco do tipo [SER X QUE Y], [X SER QUE Y] e [X QUE Y], em uma perspectiva construcionista baseada no uso. De acordo com essa abordagem, a língua, enquanto representação cognitiva, emerge, em decorrência da aplicação de habilidades cognitivas de domínio geral, à experiência do usuário da língua com instâncias concretas de construções gramaticais com as quais se depara nas mais diversas situações de comunicação, no decorrer de toda a vida. Nesse sentido, o conhecimento linguístico do falante pode ser interpretado em termos de uma rede de construções gramaticais que apresenta relações de tipos variados entre si e varia em graus de esquematicidade, produtividade e composicionalidade. Este trabalho pretende descrever as construções consideradas como construções de foco do português brasileiro, pertencentes à mesma família de construções, comumente denominadas clivadas. Essas construções, ao mesmo tempo em que apresentam similaridades de forma e significado, uma vez que estão interligadas na rede, também exibem diferenças, desde preferências de combinação com elementos que podem ocupar os slots X e Y nas construções, até funções discursivas específicas, que este trabalho pretende elucidar. Para isso, são analisados textos da escrita, no domínio jornalístico, mais especificamente crônicas e artigos de opinião. Empreende-se uma análise que mescla elementos qualitativos e quantitativos, embora estes se refiram somente às questões distribucionais, sem a aplicação de qualquer teste de significância estatística. Os resultados desta dissertação apontam para diferenças sintáticas e semântico-pragmáticas entre os tipos de construção investigados.

Palavras-chave: Construções de foco clivadas [SER X QUE Y], [X SER QUE Y] e [X QUE Y]. Perspectiva construcionista baseada no uso. Funções discursivas. Rede de construções gramaticais.

 

Abstract

This dissertation investigates focus constructions of the type [SER X QUE Y], [X SER QUE Y] and [X QUE Y], in an usage-based constructionist perspective. According to this approach, language as a cognitive representation emerges as a result of the application of cognitive abilities of general domain to the experience that the user of the language has with concrete instances of grammatical constructions that they face in the most diverse situations of communication, during the speaker's entire life. In this sense, the speaker's linguistic knowledge can be interpreted in terms of a network of grammatical constructions presenting relations of several types among themselves in diverse degrees of schematicity, productivity and compositionality. This work intends to describe the constructions considered as focus constructions in Brazilian Portuguese belonging to the same family, commonly called cleft sentences. These constructions, at the same time that they present similarities of form and meaning, since they are interconnected in the network, also exhibit differences, ranging from preferences of combination with elements that can occupy slots X and Y in the constructions, to specific discursive functions that this work intends to elucidate. In order to achieve this, texts from the journalistic domain are analyzed, more specifically chronicles and opinion articles. An analysis is undertaken that mixes qualitative and quantitative elements, although the quantitative elements refer only to distributional issues, without the application of any test of statistical significance. The results of this dissertation point to syntactic and semantic/pragmatic differences between the types of construction investigated.

Keywords: Cleft focus constructions [SER X QUE Y], [X SER QUE Y] and [X QUE Y]. Usage-based constructionist perspective. Discursive functions. Network of grammatical constructions.

 

Renata Miranda de Assis

Título: A aquisição da inversão sujeito – verbo no inglês como L2, por falantes de Português

Orientador: Profa. Dra. Marcia Maria Damaso Vieira

Páginas: 96


Resumo

O objetivo deste trabalho é discutir os papéis da língua materna (L1) e da Gramática Universal (GU) no processo de aquisição das construções interrogativas do inglês como L2, por falantes do português brasileiro (PB). A escolha das duas línguas se deve ao fato de que elas apresentam valores paramétricos distintos. Em inglês, mas não em PB, há inversão da ordem sujeito-verbo nas interrogativas. Essa diferença se justifica porque o traço Q de C do Inglês é forte, o que provoca movimento verbal. Já em PB, o traço Q de C é fraco. Como hipótese inicial, assumimos junto com Schwartz & Sprouse ( 1996) e White ( 2003), a hipótes da transferência total /acesso total segundo a qual há transferência dos valores dos traços dos núcleos funcionais da L1 para a L2, (Hipótese da Transferência Total) nos estágios iniciais, mas durante o processo de aquisição, há a possibilidade de reconfiguração desses traços , quando necessário, devido ao acesso à GU (Hipótese do Acesso Total). Também procuramos investigar a ordem de emergência das estruturas interrogativas, com base no modelo de Hawkins (2001), de acordo com o qual não há CP e nem outras categorias funcionais nos estágios bem iniciais da aquisição da L2 (Hipótese das árvores mínimas). O CP é adquirido aos poucos. É a partir daí, quando já está pleno, que há transferência dos valores dos traços de C da L1 para L2. Só mais tarde é que esses valores são ajustados para os valores da L2. Para a realização deste estudo, foram aplicados experimentos, testes de versão e de julgamento de gramaticalidade, com falantes de PB, aprendizes de inglês como L2, provenientes de três diferentes instituições de ensino. Esses participantes foram agrupados em diferentes níveis de proficiência, com base no tempo de estudo formal da língua-alvo. Os resultados da pesquisa mostraram haver transferência da L1 nos estágios iniciais e subsequentes de aquisição. No que diz respeito ao estágio final, foi verificado que pode ou não haver convergência entre a gramática do falante de L2 e a do falante nativo. No entanto, nos dois casos, acreditamos haver atuação da GU. Além disso, os dados revelaram que o modelo de emergência das estruturas interrogativas do Inglês sugerido por Hawkins também parece se confirmar.

Palavras-chave: Palavras-chave: Aquisição de L2, inversão sujeito – verbo, movimento Qu

 

Abstract

The aim of this work is to investigate the roles of mother tongue (L1) and Universal Grammar (GU) in the process of the acquisition of english interrogatives, by native speakers of Brazilian Portuguese (BP). The choice of the two languages was due to the fact that they have different parametric values. In English, but not in BP, there is subject-verb inversion in the interrogatives. This difference follows from the fact in English, Q has a strong feature, which triggers verb movemnt. In BP, however, Q has a weak value.As an initial hypothesis, we have adopted Schwartz & Sprout ‘s( 1996) and White’s (2003)Full Transfer/ Full Acess Hypothesis according to which there is transfer of the functional features values from L1 to L2,in the initial stages of acquisition , but during the process, if necessary, these features can be changed to the L2 values , because UG is still active. We have also tried to investigate the order of the emergence of interrogative structures, based on Hawkins’ (2001) model, which assumes that there is no CP or other functional categories in the very early stages of the acquisition of L2 (Minimum tree hypothesis). The CP is acquired little by little. It is from then on that there is transfer from L1 values of C to L2 (Total Transfer Hypothesis). It is only later that these values are adjusted to the values of L2 (Total Access Hypothesis). In order to accomplish our aims, we have designed experiments, as version and grammatical judgment tests , and applied them among BP speakers, learners of L2 English, from three different educational institutions. Theses participants were grouped in different levels of proficiency according to the time of formal exposure to English. The research results showed that there was a transfer of L1 in the initial and subsequent stages of acquisition. With regard to the final stage, it was found that there may or may not be convergence between the grammar of the L2 speaker and the native speaker. However, we believe that both cases are restricted by GU. The data also revealed that the emergence of interrogative structures in the process of L2 acquisition follows Hawkins’ model.

Keywords: L2 acquisition, subject – auxiliary inversion, Qu movement

Rodrigo Pereira da Silva Rosa

Título: Plurilinguismo e política linguística em território fluminense: proposta de uma cartografia discursiva

Orientador: Profa. Dra. Tania Conceição Clemente de Souza

Páginas: 136


Resumo

Nosso trabalho tem como ponto de partida o mapeamento das diferentes línguas que são faladas no Rio de Janeiro, com a proposta de uma cartografia discursiva do estado do Rio de Janeiro. Uma cartografia com o viés discursivo se difere de uma cartografia linguística, porque esta se propõe explorar, em geral, as variações dialetais veiculadas no estado. O termo ‘cartografia discursiva’, cunhado neste trabalho, toma como base na sua definição aspectos de ordem político-social, quando estes dão lugar a um desenho da diversidade de línguas – em sua forma plena ou não – faladas no estado fluminense. A reunião dessas línguas não se dá por um fato fortuito, ao contrário: cada povo que aqui chega com sua matriz linguística traz consigo movimentos na história – do seu lugar de origem ao novo território. Uma cartografia discursiva não pode ser resultado, apenas, de um levantamento estatístico. A mesma se constrói investindo na busca por fatos históricos: por que aqui chegam os imigrantes? por que aqui chegam os povos africanos? por aqui chegam os povos originários? E, por fim, por que os refugiados buscam o nosso território como lugar de acolhimento? Em termos teóricos enveredamos pela articulação de conceitos oferecidos pela Análise de Discurso de linha francesa e da escola europeia de Sociolinguística. Muitas são as questões que permeiam nosso trabalho, como a discussão em torno do monolinguismo versus plurilinguismo. Sendo o Rio de Janeiro polo que agrega povos de diferentes procedências, muitas são os entraves e problemas para acolher a todos. A principal barreira na solução para um bom acolhimento reside na diversidade de línguas que fluem com o trânsito de muitos imigrantes, de povos originários do Brasil e do fluxo constante de refugiados. São poucos os projetos políticos que buscam a dar lugar de fato a um acolhimento. Destaca-se a dimensão do acolhimento através da criação de Cátedras pelo ACNUR; através da instituição de direitos por relações internacionais, como a criação por convenção, em 1951, do Instituto do Refúgio e a previsão de normativas legais mais favoráveis no Brasil do que em outros países. Nesse sentido, a oferta de uma cartografia discursiva permitiu mapear a fluência de um número expressivo de línguas oficiais e variedades dialetais faladas pelo contingente de imigrantes no estado do Rio de Janeiro. Todo esse universo linguístico, certamente, afeta o modo de falar o português, bem como o português afeta a todas essas línguas, fazendo surgir línguas forjadas em outros estados do território brasileiro – como o talian, o pomerano e outras. Por esses aspectos, de ordem política e de ordem histórica, o dialeto carioca tem sido identificado, desde a Convenção de 1943, como o dialeto padrão do país. Logo, em termos linguísticos, o modo de falar fluminense (abarcando o dialeto carioca) refletiria o sistema fonológico da Língua Portuguesa no seu todo. Em termos históricos, esse modo de falar reflete os movimentos da história universal, por isso a proposta de uma cartografia discursiva. Por fim, o trabalho no campo das políticas linguísticas não se encerra por aqui, quando buscamos responder a que línguas são faladas no Rio de Janeiro? Eis aí um campo fértil de discussão.

Palavras-chave: Palavras-chave: política linguística; plurilinguismo; cartografia discursiva

 

Abstract

Our work has as its starting point the mapping of the different languages that are spoken in Rio de Janeiro, with the proposal of a discursive cartography of the state of Rio de Janeiro. A cartography with or discursive can differ from a linguistic cartography, because this can explore, in general, as dialectal alterations transmitted in the state. The term 'discursive cartography', carried out in this work, is based on its social political criteria, when these places are placed in a design of several languages - in their full form or not - spoken in the state of Rio de Janeiro. The meeting of these languages does not give a fortuitous fact, on the contrary: each people who arrive here with their linguistic matrix brings movements in history - from their place of origin in the new territory. A discursive cartography cannot be the result of just a statistical survey. The same thing is to invest in the search for historical facts: why do immigrants arrive here? why do the african peoples arrive here? do native peoples arrive here? And, finally, why do refugees seek or our territory as a place of welcome? In theoretical terms we have taken the articulation of concepts offered by the French Discourse Analysis and the European School of Sociolinguistics. There are many issues that permeate our work, such as the discussion around monolingualism versus plurilingualism. Since Rio de Janeiro is a center that attracts people from different backgrounds, there are many obstacles and problems to welcome everyone. The main barrier in the solution to a good reception lies in the diversity of languages that flow with the transit of many immigrants, peoples from Brazil and the constant flow of refugees. There are few political projects that seek to actually give way to a host. The dimension of reception through the creation of Chairs by UNHCR stands out; through the institution of rights for international relations, such as the creation by convention in 1951 of the Refuge Institute and the provision of more favorable legal regulations in Brazil than in other countries. In this sense, the offer of a discursive cartography allowed to map the fluency of a significant number of official languages and dialect varieties spoken in the state. This whole linguistic universe certainly affects the way Portuguese is spoken, as Portuguese affects all these languages, giving rise to forged languages in Brazilian territory - such as Talian, Pomerano and others. Due to these political and historical aspects, the Rio de Janeiro dialect has been identified since the 1943 Convention as the country's standard dialect. Therefore, in linguistic terms, the Fluminense way of speaking (encompassing the Rio dialect) reflect the phonological system of the Portuguese language as a whole. In historical terms, this way of speaking reflects the movements of universal history, hence the proposal of a discursive cartography. Finally, the work in the field of language policies does not end here, when we seek to answer which languages are spoken in Rio de Janeiro? Here is a fertile field of discussion.

Keywords: language policy; multilingualism; discursive cartography

 

Sabrina Gomes da Silva Moreira

Título: Aquisição do aspecto imperfectivo contínuo no tempo presente por falantes do português do Brasil/l1 aprendizes do Francês/l2

Orientador: Profa. Dra. Adriana Leitão Martins

Páginas: 96


Resumo

Esta pesquisa tem o objetivo de investigar a aquisição do aspecto imperfectivo contínuo por falantes nativos de Português do Brasil/L1 (PB/L1) que são aprendizes de francês/L2 (F/L2). A hipótese considerada era de que haveria transferência do PB/L1 para o F/L2 do padrão de realização morfológica do imperfectivo contínuo no presente, considerando os diferentes tipos de verbo propostos por Vendler (1967). A metodologia consistiu na aplicação de dois testes de produção semiespontânea, um escrito e um oral. Para o teste escrito, foram selecionados 98 participantes de 18 a 54 anos, sendo, no grupo controle, 40 falantes FF/L1 e 35 de falantes PB/L1 e, no grupo experimental, 23 aprendizes F/L2. Para o teste oral, foram selecionados 71 participantes de 18 a 56 anos, sendo, no grupo controle, 25 falantes FF/L1 e 25 falantes PB/L1 e, no grupo experimental, 21 aprendizes F/L2. Os resultados do teste de produção semiespontânea escrito revelam que: no grupo de falantes FF/L1, 88% das realizações foram por meio da morfologia não progressiva, no grupo de falantes PB/L1, 51% das realizações foram com a morfologia progressiva e, no grupo de aprendizes F/L2, 96% das realizações foram com a morfologia não progressiva. Os resultados do teste de produção semiespontânea oral revelam que: no grupo de falantes FF/L1, 82% das realizações foram com a morfologia não progressiva, no grupo de falantes PB/L1, 77% das realizações foram com a morfologia progressiva e, no grupo de aprendizes F/L2, 93% das realizações foram com a morfologia não progressiva. Assim sendo, considera-se a hipótese deste estudo refutada. Diante disso, discutimos, com base no resultados dos aprendizes nos testes, que (i) estes talvez não fossem de fato iniciantes e, por isso, não faziam mais a transferência da L1 para L2, (ii) o fato de os aprendizes terem utilizado pouco a morfologia progressiva pode ser resultante das diferenças estruturais entre essa morfologia no português do Brasil e no francês da França e (iii) com base nas duas ocorrências de gérondif nos dados dos aprendizes no teste oral, consideramos que talvez essa seja a forma verbal mais usada por alunos iniciantes que revelaria a transferência do PB/L1 para o F/L2, o que demanda maiores investigações acerca de seu uso.

Palavras-chave: Palavras-chave: aquisição de L2, imperfectivo contínuo, português do Brasil, francês

 

Abstract

This research aims to investigate the acquisition of the continuous aspect by Brazilian Portuguese/L1 (PB/L1) speakers who are French/L2 (F/L2) learners. The hypothesis considered was that there would be transfer from PB/L1 to F/L2 on the morphological realization standard of the continuous aspect in the present tense, considering the different verbs types proposed by Vendler (1967). The methodology was consisted in the application of two semi-spontaneous production tests, a written and an oral. For the written test, 98 informants aged 18 to 54 years old were selected, in the control group, 40 FF/L1 speakers and 35 PB/L1 speakers and, in the experimental group, 23 F/L2 learners. For the oral test, 71 informants aged 18 to 56 years old were selected, in the control group, 25 FF/L1 speakers and 25 PB/L1 speakers and, in the experimental group, 21 F/L2 learners. The semi-spontaneous written production test results reveal that: in the FF/L1 speakers group, 88% realizations were with the non-progressive morphology, in the PB/L1 speakers group, 51% realizations were with progressive morphology and, in the F/L2 learners group, 96% of the realizations were with non-progressive morphology. The semi-spontaneous oral production test results reveal that: in the group of FF/L1 speakers, 82% realizations were with the non-progressive morphology, in the PB/L1 speakers group, 77% realizations were with the progressive morphology and, in the F/L2 learners group, 93% realizations were with non-progressive morphology. Therefore, the hypothesis of this research is refuted. Henceforth, we discussed, based on the F/L2 learners’ tests results, that (i) they were perhaps not beginners and, they no longer made the transfer from L1 to L2, (ii) the fact that the learners have used little the progressive morphology may be a result of structural differences between this morphology in Brazilian Portuguese and French and (iii) based on the two occurrences of gérondif in the learners’ data in the oral test, we consider this is perhaps the most the verbal form used by beginner students that would reveal the transfer of PB/L1 to F/L2, which requires further investigations about its use.

Keywords: L2 acquisition, continuous aspect, Brazilian Portuguese, French

 

 

 

Agências de Fomento